Poucas bebidas são tão únicas e saborosas quanto o vinho verde. Esse estilo de vinho, 100% português, é um bom exemplar das maravilhas que a fermentação de uvas pode fazer pela gastronomia mundial.

Para quem está procurando inovar no tipo de bebida para servir em suas refeições, o vinho verde pode ser uma boa opção para encantar seus convidados e oferecer um sabor diferenciado. Mas, para isso, é preciso conhecer algumas informações valiosas sobre esse produto!

O nome é verde, mas o vinho não!

vinho verde alentejo

Apesar de receber o nome de vinho verde, essa bebida não tem coloração verde, como a maioria de nós poderia imaginar. Esse tipo de vinho pode ter a coloração branca, tinta ou rosé, como qualquer outro. O motivo da cor verde no seu nome pode ser explicado de duas maneiras:

  • O vinho verde é um vinho jovem, que não realiza a fermentação tradicional do vinho, chamada de malolática e, por isso, não é considerado uma bebida madura. O nome verde tem a intenção de sinalizar que essa maturação não aconteceu;
  • A região do Minho, onde é produzido esse vinho, é caracterizada por sua vegetação densamente verde, que é homenageada no nome da bebida.

Vinhos verdes são exclusivos do norte de Portugal

vinho verde garrafa

O vinho verde é uma bebida produzida apenas na região do Minho, que se localiza ao norte de Portugal.  A produção foi iniciada na década de 1970 e se tornou um verdadeiro sucesso em todo o mundo por apresentar características únicas e ser capaz de se diferenciar bastante de vinhos brancos, tintos e rosés tradicionais.

Hoje, a produção de vinhos verdes é protegida por uma legislação específica. Ela assegura não somente a utilização do nome “vinho verde” em rótulos distribuídos pelo mundo, como também o seu método de desenvolvimento tradicional.

Refrescante, ácido e produzido com uvas únicas

vinho verde branco

Singularidade é uma palavra muito adequada para descrever o vinho verde. Essa bebida tem como suas principais características o frescor – e por isso é um vinho bastante adequado para dias mais quentes – e sua acidez, que lhe dá um sabor especial.  Por ser consumido sempre jovem, é possível perceber também aromas florais e citrinos, típicos dessa bebida e responsáveis por encantar quem opta por consumi-lo.

As uvas utilizadas para produzir esse tipo de bebida também são únicas e exclusivas da região do Minho em Portugal. Apesar da Alvarinho ser a mais famosa das cepas, também são utilizadas uvas como a Trajadura, a Loureiro e a Donzelinho na produção desse vinho tão peculiar.

A temperatura ideal de consumo varia de acordo com o tipo de vinho

vinho verde queijo

Apesar de ser uma bebida sempre refrescante e ácida, a temperatura ideal para consumir seu vinho verde tinto, branco ou rosé pode variar um pouco. Recomenda-se garantir uma temperatura de 8°C a 10°C para os brancos e rosés, enquanto os tintos devem ser servidos entre 10° e 14°C.

Escolha a taça certa e harmonize com peixes e frutos do mar

vinho verde tinto

A escolha da taça também deve ser pensada de acordo com o tipo de vinho a ser servido. Para os tintos, valorize as taças com bojo maior, enquanto para os brancos e rosés você pode pensar em modelos mais estreitos e altos – como os utilizados para espumantes.

Os vinhos brancos tradicionalmente acompanham pratos de peixes e frutos do mar – muito tradicionais e comuns em Portugal – entretanto, também podem ser uma boa companhia para petiscos como o bolinho de bacalhau e o camarão empanado!

 

Você já tinha ouvido falar do vinho verde antes? Ficou curioso e quer saborear essa tradicional bebida portuguesa?

No Pão de Açúcar temos rótulos imperdíveis para você se apaixonar por esse tipo de vinho. Acesse nosso site e garanta o seu!